• contato@labci.online
  • revista.divulgaci@gmail.com
  • Universidade Federal de Rondônia, Porto Velho - RO

CAPA

Editorial: Como erradicar os crimes homotransfóbicos no Brasil, de Luiz Mott
Entrevista: Arthur Henrique Feijó de Almeida, Gabrielle Mansur Araújo e Laelson Felipe da Silva
Perspectiva: Lauri Miranda Silva e Nilton Milanez
Inovação: Historiatransviada.com – um projeto de historiografia pública digital, de Ronald Canabarro
Outras divulgações: Travesti bibliotecária e o processo de pesquisa e lançamento do livro “Infoeducação e transexualidades: estudos iniciais”, por Melissa Silva
Pesquisas: “Pesquisadora destaca a importância e os desafios das práticas informacionais entre travestis na Grande Vitória (ES)” e “Mulheres feministas negras e lésbicas e o protagonismo social”
Na foto: Vista do prédio da Universidade Federal do Paraná.
Fotografia: Herta Maria de Açucena do Nascimento Soeiro

Editorial: Como erradicar os crimes homotransfóbicos no Brasil, por Luiz Mott

“Ostentamos, contudo, um terrível lado cor-de-sangue: há décadas nosso país é o campeão mundial de mortes violentas de homossexuais e trans, de mais de duzentas a quatrocentas vítimas todo ano, sobretudo travestis e gays que são barbaramente assassinados vítimas da homotransfobia estrutural. 257 mortes violentas em 2023, uma LGBT+ morta a cada 34 horas!”, apresenta o ativista e pesquisador Prof. Dr. Luiz Mott.

Entrevista com Arthur Almeida sobre sua pesquisa que investigou as políticas culturais e demandas informacionais da população LGBTQIAP+ nas bibliotecas públicas de Recife

Confira nossa entrevista com o pesquisador Arthur Almeida, mestre em Ciência da Informação pela Universidade Federal de Pernambuco. Em sua dissertação, Arthur aborda as bibliotecas públicas da cidade do Recife como espaço de mediação cultural propício para formulação e implementação de políticas culturais voltadas à população LGBTQIAP+. Na entrevista, conheça um pouco sobre o processo de mestrado e dicas do pesquisador.

Entrevista com Gabrielle Araújo sobre sua pesquisa que abordou maternidades lésbicas e identidades de gêneros em contextos adversos

Confira nossa entrevista com a pesquisadora Gabrielle Araújo, que é mestra em Educação pela Universidade Federal do Mato Grosso do Sul e atua como professora da rede municipal de educação de Três Lagoas – MS. Em sua dissertação, Gabrielle buscou compreender o processo de construção de identidades de gêneros das crianças de casais de mulheres trans e cis gêneros. Descubra mais sobre sua pesquisa e expectativas da pesquisadora.

Entrevista com Laelson da Silva sobre sua pesquisa que analisou as ecologias informacionais em Centros de Referência LGBTQIA+

Confira nossa entrevista com o pesquisador Laelson da Silva, doutor em Ciência da Informação pela Universidade Federal da Paraíba. Em sua tese, Laelson analisou os Centros de Referência de Direitos Humanos LGBTQIAP+ no Brasil e apresentou um modelo com os elementos que compõem ecologias informacionais complexas. Na entrevista, conheça um pouco sobre as influências científicas, as produções e dicas do pesquisador.

Estudos sobre LGBTQIA+ e mulheridades em Rondônia: percursos e perspectivas de subversão na produção acadêmica, por Lauri Miranda

“Noto, ainda, como o “cistema” acadêmico continua operando com relação aos estudos LGBTs e de mulheres na historiografia na Amazônia Ocidental, mesmo já notando alguns avanços. A minha tese de doutorado é uma contribuição nesse sentido. Um trabalho antes de tudo transfeminista interseccional amazônida.” argumenta a historiadora e pesquisadora Profa. Dra. Lauri Miranda Silva, do Instituto Federal do Rio Grande do Sul.

A vida cotidiana nas pesquisas da universidade: ações do Laboratório de Estudos do Discurso e do Corpo, por Nilton Milanez

“[…] o corpo não é mais aquele corpo da biologia, mas um corpo simbólico, enfrentando poderes que buscam dominar nossos desejos e, ao mesmo tempo, se reinventando e vivendo diferentemente do que se esperam algumas instituições. E, aqui, chegamos ao objeto principal dos estudos do discurso sobre o corpo: as sexualidades”, explica o pesquisador Prof. Dr. Nilton Milanez, da Universidade do Estado da Bahia.

historiatransviada.com – um projeto de historiografia pública digital, por Ronald Canabarro

“Proponho, portanto, uma produção de conhecimento historiográfico que foge um pouco as regras da área, produzindo uma tese/produto que se utiliza das ferramentas do digital para dar a ver uma parte da história da historiografia e ao mesmo tempo divulgar as pesquisas em outros espaços além da pós-graduação.”, pontua o historiador e pesquisador Ronald Canabarro, da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Travesti bibliotecária e o processo de pesquisa e lançamento do livro “Infoeducação e transexualidades: estudos iniciais”, por Melissa Silva

“Estagiar em bibliotecas escolares sendo uma travesti me possibilitou pôr em prática os ensinamentos da Infoeducação bem como do seu fundador, Prof. Dr. Edmir Perrotti, que cunhou o termo e, em 2000, organizou o “1º Colóquio de Infoeducação”, na Escola de Comunicação e Artes na Universidade de São Paulo – ECA/USP.”, recorda a bibliotecária pesquisadora Melissa Maria da Silva, autora do livro “Infoeducação e transexualidades”

Pesquisadora destaca a importância e os desafios das práticas informacionais entre travestis na Grande Vitória (ES)

Estudo da Universidade Federal do Espírito Santo analisa as práticas informacionais das travestis da Grande Vitória (ES) frente ao processo de construção da identidade de gênero. Conheça a dissertação de Marcela Aguiar da Silva Nascimento, “Práticas informacionais de travestis da Grande Vitória (ES)”, desenvolvida junto ao Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal do Espírito Santo. Orientado pela Profa. Dra. Marta Leandro da Mata.

Mulheres feministas negras e lésbicas e o protagonismo social

Pesquisadora propõe discussão acerca da mediação da informação e o protagonismo social para combater às violências de raça, gênero e sexualidade. Conheça a dissertação de Aline Ferreira, “Mulheres feministas negras e lésbicas e a mediação da informação e o protagonismo social”, desenvolvida junto ao Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade do Estado de Santa Catarina. Orientado pela Profa. Dra. Daniella Camara Pizarro.

Expediente

Volume 2, Número 6 – Junho de 2024.
Editada em maio de 2024.
Última edição em junho de 2024.
Publicada em 10 de junho de 2024.
Disponível em:
https://www.divulgaci.unir.br
https://www.divulgaci.labci.online
Laboratório Aberto Contexto e Informação
Universidade Federal de Rondônia
Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro

Translate »
Pular para o conteúdo